Stabat Mater Dolorosa (Estava a mãe dolorosa)

Texto de: No Colo de Maria
Publicado em: 27 de fevereiro de 2021
Stabat Mater (do latim “Estava a Mãe”) é uma seqüencia do século XIII, atribuído ao franciscano Frei Jacopone de Todi. O poema começa com as palavras Stabat Mater dolorosa (“estava a Mãe dolorosa”), e fala do sofrimento de Maria, mãe de Jesus, durante a crucificação.

Confira abaixo a letra em português e latim. Você pode também ouvir a canção nos dois idiomas.

Stabat mater dolorosa
Juxta crucem lacrimosa,
Dum pendebat filius.

Cuius animam gementem,
Contristatam et dolentem
Pertransivit gladius.

Oh! quam tristis et afflicta
Fuit illa benedicta,
Mater unigeniti!

Quae moerebat et dolebat,
Pia mater, dum videbat
Nati poenas inclyti.

Pro peccatis suae gentis
Vidit iesum in tormentis,
Et flagellis subditum.

Vidit suum dulcem natum
Moriendo desolatum,
Dum emisit spiritum.

Quis non posset contristari
Christi matrem contemplari
Dolentem cum filio?

Quis est homo qui non fleret,
Matrem christi si videret
In tanto supplicio?

Eia, mater, fons amoris
Me sentire vim doloris
Fac, ut tecum lugeam.

Fac, ut ardeat cor meum
In amando christum deum
Ut sibi complaceam.

Sancta mater, istud agas,
Crucifixi fige plagas
Cordi meo valide.

Tui nati vulnerati,
Tam dignati pro me pati,
Poenas mecum divide.

Fac me tecum pie flere,
Crucifixo condolere,
Donec ego vixero.

Juxta crucem tecum stare,
Et me tibi sociare
In planctu desidero.

Fac me cruce custodiri
Morte christi praemuniri
Confoveri gratia

Quando corpus morietur,
Fac, ut animae donetur
Paradisi gloria.

Amen

A mãe dolorosa estava
Chorosa junto à cruz
Enquanto o filho pendia

Cuja alma que gemia
Aflita e em dor
A espada atravessou

Oh, quão triste e aflita
Esteve ela, bendita
Mãe do unigênito

Como lamentava e se afligia
A mãe piedosa, enquanto via
Os sofrimentos do nascido glorioso

Pelos pecados de seu povo
Viu Jesus em tormentos
E submetido aos flagelos

Viu seu doce nascido
Morrendo desolado
Enquanto entregava o espírito

Quem poderia não compadecer
Vendo a mãe de Cristo
Condoída com o filho?

Quem é o homem que não choraria
Se visse a mãe de Cristo
Em tanto suplício?

Oh, mãe, fonte de amor
Faça-me sentir a força da dor
Para que eu lamente com você

Faça com que meu coração arda
Ao amar Cristo Deus
Para que ele se compadeça

Santa mãe, faça isso
Funde as chagas do crucifixo
No meu coração com força

Divida comigo os sofrimentos
Da ferida do seu filho tão gentil a sofrer
Por mim

Faça com que eu chore piedosamente com você
Com que eu condoa com o crucifixo
Enquanto eu viver

Esteja com você junto à cruz
Me una a você
No pranto pelo luto.

Faça-me ser guardado pela cruz
Fortalecido pela morte de Cristo
Confortado pela graça

Quando meu corpo morrer
Faça com que a alma seja dada
À glória do paraíso

Amém

Latim:

Português:

Escrito por: No Colo de Maria
Nossa missão é formar o povo de Deus na fé e na oração. Este humilde serviço de evangelização realizado por um casal de leigos residentes no Estado de Goiás quer levar um pouco da ternura do Colo da Mãe de Deus e da Igreja até você.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: