Caso se faça a seguinte pergunta: Qual é o seu super-herói favorito? Tenho quase certeza que irei ouvir de tudo, Super-homem, Homem-aranha, Homem de Ferro, Mulher-maravilha e para aqueles que gostam de ser mais profundos e tentam levar a pergunta mais a sério, responderiam meu pai, minha mãe, até mesmo o “El fucho” (Che Guevara) estaria entre as respostas, mas com certeza quase ninguém diria Jesus Cristo.

O que esperamos de um herói? Poderes extraordinários, visão de lazer, visão de raio-x, prender ladrões, perseguir, matar, vingar, destruir o mal, nos ver livres de todas as mazelas do mundo por um ser extraterrestre que como num passe de mágica acabe com tudo, sem nenhum esforço, sem nenhuma mudança de atitude por parte da pessoas. Esta imagem vendida é utópica e imaginária, são esses os heróis cultivados e difundidos em nós desde criança e que como se não bastasse serem imaginários, nos desperta uma falsa esperança.

Para você ver que as coisas não mudaram muito nos últimos 2.000 anos, o povo judeu no fundo, esperava que o messias fosse como um Super-herói, vingador, que com um movimento derrubaria as legiões romanas, e libertaria o seu povo. Às vezes, tentamos cultivar um sentimento anti-semita (anti-judeu), mas esquecemos que muitos de nós O crucificaria novamente. Esse Deus-homem, o maior de todos os super-heróis, tinha um super-poder, que não é como os produzidos e criados por Hollywood, era o poder do amor, porque ainda é o caminho mais curto para se chegar até uma pessoa, é o único caminho para se mudar realmente alguém. Cadeiras elétricas, câmaras de gás, pena perpetua, nada disso irá mudar o mundo, ainda que o mundo fosse invadido pela Liga da Justiça, com todo o seu exercito de heróis, somente teríamos um resultado: penitenciárias cheias e muito mais problemas.

Este homem-Deus, chamado Jesus Cristo, usando seu super-poder, fez Maria Madalena refletir e mudar, fez Zaqueu devolver o que não era dele e nunca mais pegar o alheio. Fez Saulo, um assassino de cristãos, tornar-se Paulo, o embaixador dos povos pagãos (Não Judeus). Isso que é um super-poder, mudar o coração das pessoas, ainda que crucificado, muda vidas, assim como mudou a minha e de Bilhões de pessoas. Nenhum super-herói hollywoodiano, é capaz depois de morto, mudar alguma coisa, mas o nosso super-herói venceu a morte, e o esquecimento, porque aqueles que o mataram achando que suas palavras iriam para o sepulcro, se enganaram. Não houve Império que atravessa-se séculos, todos ruíam, mas suas palavras atravessam milênios, são eternas, não aprisionam ou se vinga, libertam. Prisões e punições corporais nunca recuperaram e nunca irão recuperar ninguém. Contudo, quando alguém te perguntar se tens um super-herói, diga com todo orgulho, Jesus Cristo, aquele que tinha como super-poder o amor.

André Kenji