Realmente trocar pneu não é uma das melhores coisas. Principalmente na chuva, de noite, indo para um casamento e tantas outras situações que poderíamos citar. Mas quando um pneu do carro fura, devido a tanta pressa é muito mais simples encher o pneu não é verdade? Por que não? Encho o pneu agora,  amanhã eu conserto. Só que o prego entrou de uma forma que ficou preso no pneu deixando o ar escapar apenas aos poucos. No outro dia você olha para o pneu e pensa: Ah! Tá cheio ainda, dá tempo de ir trabalhar e na hora do almoço eu remendo o pneu. Só que na hora do almoço você se atrasa pela correria do trabalho e nem lembra do pneu. No fim do expediente já está atrasado para a faculdade, e adivinha: O pneu está murcho! Mas por sorte tem um posto de gasolina do lado, é só encher e depois dá um jeito.

Este pequeno contratempo acabou fazendo parte de sua rotina, todos os dias encher o pneu furado do carro. Levando em consideração que se gaste 5 minutos do dia para realizar isto, em 1 mês gastou-se 150 minutos enchendo pneu do carro, o que equivale a 2 horas e meia. E o mais interessante, que gastou duas horas e meia e continua com o pneu furado. E com o passar do tempo, o furo vai aumentando e encher o pneu 1 vez por dia já não é mais suficiente, agora são duas, no segundo mês já são 5 horas gastas enchendo pneu, no total dos dois meses são 7 horas e meia e o pneu continua furado.
Muitas vezes acontece isto com nosso coração. Um pequeno prego é colocado no nosso coração por outra pessoa, e você tem razão, foi ela quem colocou, ela te feriu, ela te machucou. Acontece que esquecemos que por mais que o prego não seja nosso, ela fica em nós e se eu decido carregar este prego quem pagará o preço sou eu. Assim nosso coração vai murchando, ficando vazio, machucado. Muitas vezes até buscamos a Deus, mas não com a intensão de ser curados, mas apenas de “encher o pneu”. Vamos até Deus e queremos nos abastecer da sua graça, mas não estamos dispostos a tirar o “prego” da falta de perdão, e pior, muitas vezes nos alimentamos do ressentimento. O que abastece nosso coração é somente o desejo de vingança contra quem colocou aquele prego em nós. Ao invés de pedirmos a Deus para “remendar” nosso coração, ousamos até rogar pragas a pessoa pedindo para que Deus a destrua. E esquecemos que Deus não toma parte com a maldade (Tiago 1,14).
Se hoje você se diz cansado de orar e Deus não atender, será que não está na hora de avaliar se o “pneu” da sua vida não tem nenhum furinho que está deixando a graça de Deus escapar? Está na hora de arregaçar as mangas, erguer o carro, trocar este pneu furado por um novinho.
Tome a palavra de Deus e leia todo o capitulo 1 da carta de São Tiago. Que o nosso Deus que é uma luz que não oscila, ilumine os nossos corações e nos traga para os seus braços, mas antes é preciso decidir perdoar!
Que Deus nos ilumine!
Paulo Franco Machado