Há muitas dúvidas sobre o que é ou não idolatria. Imagens, Santos, etc… Não quero aqui fazer um tratado de teologia, mas um convite a refletir sobre um mistério maior a respeito da idolatria.
Meu corpo é um templo do Espírito Santo, e eu o adorno não para ADORAR E CULTUAR o meu corpo, mas cuido dele para honrar ao Deus que nEle habita. Sou imagem e semelhança dEle! Eu preciso cuidar de mim! Assim acontece com as igrejas. Adornamos e esculpimos com símbolos (ou imagens como preferir), cheios de testemunho de
grandes ícones da igreja na radicalidade do servir a Cristo afim de que, a casa de Deus seja como o propiciatório onde Deus habitará e se fará presente no meio de nós. Para honra e glória de Deus assim como no templo de Salomão.

Imagens representam TESTEMUNHO de quem reconhecia que DEUS É MAIOR QUE TUDO, E QUE JESUS É O SENHOR. Imagem me recorda de alguém que para mim se torna modelo no seguimento a JESUS CRISTO.

NÃO ADORO IMAGENS! Somente a Deus devo adorar! Por outro lado, possuir imagens não constitui idolatria. Senão qualquer objeto  feito pela mão do homem seria idolatria, desde uma colher a um avião! A questão é, se torno aquela imagem, objeto ou qualquer outro pertence meu mediador entre mim e Deus aí sim, é idolatria. Mediador entre Deus e nós é Jesus Cristo! Ter uma imagem como REPRESENTAÇÃO de santos que deram suas vidas por Jesus, não nos leva para longe dEle, muito pelo contrário, ao ver uma imagem, consagrada, me leva a olhar para a vida daquele santo ali representado, e é como se ele me dissesse: “Siga Jesus Cristo! Eu consegui! Dei minha vida por Cristo, agora estou na glória de Deus! Não desanime! Siga Jesus Cristo!” Istó é um profundo respeito a pessoas que me precederam e não deixaram que nossa fé fosse dizimada.

Imagine a seguinte situação: Sua mãe aqui na terra foi uma grande seguidora de Jesus Cristo, para você foi sua referência de fé, ela que te levava a igreja e te ensinou  SEGUIR Jesus Cristo. E ela morreu. Mas na comoda do seu quarto tem uma foto de sua mãe, dai toda noite, naquele dia de dificuldade, você lembra do ensinamento de sua mãe, e tem novo ânimo para seguir! Agora me responda… esta fotografia para você é adorar o Deus minha mãe? Claro que não! Aquela fotografia lembra o testemunho de sua mãe e te dá ânimo para prosseguir! Assim acontece com os santos. Diante da história de vida, conversão e testemunho deles, temos imagens para  nos animar no seguimento de CRISTO!

Tem gente que acha um absurdo uma imagem de um santo na estante de minha casa, mas por outro lado é perfeitamente normal ter um quadro do time do Flamengo campeão do Brasileirão. É idolatria ter a IMAGEM dos jogadores campeões do brasileirão, heróis do futebol? Depende de como fará seu uso. Se for para reconhecer seus méritos como jogadores de futebol, não.  Mas se o futebol tem mais importância na minha vida do que a igreja, e o futebol me leva para longe da igreja não torna assim o Flamengo meu objeto de idolatria? Se passo a dar sentido a minha vida pelo futebol e Deus não é mais o centro da minha vida isto sim se constitui uma idolatria! Agora, imagens que me remetem ao seguimento radical de Cristo, que me levam a pensar em Deus, na plena consciência de que são apenas barro, gesso, resina ou o que for! Não interessa neste momento o material. Me interessa que para mim são objeto de conversão.

Então, onde mora a verdadeira idolatria? Não se engane, tudo aquilo que tornar na sua vida maior do que Deus, é idolatria. Imagem, clube de futebol,  banda de rock, dinheiro, sexo, tudo isto se torna objeto de depravações que incorrem na idolatria. É idolatria, sim, tudo aquilo que tira o “direito” de Deus ser Deus na minha vida. Deus é Deus e nunca deixará de ser. Agora preciso eu tornar-me um adorador! Deixar Deus ser o centro da minha vida. Quando entender isto, deixarei de imaginar que imagens por imagens são idolatria.

Cuidemos de nossas vidas para não cair no risco de JULGAR os outros  como adoradores (quando podem não ser), simplesmente por possuir imagens de Santos, e cuidemos de analisar nossa vida para saber se não tem outras coisas que estão se tornando o centro de minha vida, se não estou colocando minha confiança no dinheiro ao invéz de confiar em Deus.
Católicos: Tenham imagens! Mas nunca faça o uso incorreto delas, afim de não cair também em idolatria. Que nossas imagens sejam objetos de veneração e nos animem no seguimento de Cristo, e nunca sejam maior do que Deus. Que o centro de Nossa Fé seja o mistério Pascal do Cristo Crucificado e Ressuscitado e nunca, nunca mesmo as imagens sejam o centro de nossa fé.
Vamos crescendo assim na fé, e aprendendo a ser cada dia mais corpo místico de Cristo na Santa Igreja Católica.

Deus os abençoe!

Paulo Franco Machado