Ninguém se salva sozinho

Texto de: No Colo de Maria
Publicado em: 3 de janeiro de 2021
Postado em: Formação | Reflexões

Papa Francisco, escrevendo sua Carta Apostólica e consagrando o ano de 2021 a São José, coloca em evidência uma realidade que, de tão óbvia, corre o risco de passar despercebida: Ninguém se salva sozinho.

Refletindo sobre São José, exprime o Santo Padre: “Tal desejo foi crescendo ao longo destes meses de pandemia em que pudemos experimentar, no meio da crise que nos afeta, que as nossas vidas são tecidas e sustentadas por pessoas comuns (habitualmente esquecidas), que não aparecem nas manchetes dos jornais e revistas, nem nas grandes passarelas do último espetáculo, mas que hoje estão, sem dúvida, a escrever os acontecimentos decisivos da nossa história: médicos, enfermeira e enfermeiros, trabalhadores dos supermercados, pessoal da limpeza, curadores, transportadores, forças policiais, voluntários, sacerdotes, religiosas e muitos – mas muitos, outros que compreenderam que ninguém se salva sozinho.

Quantas pessoas dia a dia exercitam a paciência e infundem esperança, tendo a peito não semear pânico, mas corresponsabilidade! Quantos pais, mães, avôs e avós, professores mostram às nossas crianças, com pequenos gestos do dia a dia, como enfrentar e atravessar uma crise, readaptando hábitos, levantando o olhar e estimulando a oração! Quantas pessoas rezam, se imolam e intercedem pelo bem de todos. Todos podem encontrar em São José – o homem que passa despercebido, o homem da presença quotidiana discreta e escondida – um intercessor, um amparo e uma guia nos momentos de dificuldade. São José lembra-nos que todos aqueles que estão, aparentemente, escondidos ou em segundo plano, têm um protagonismo sem paralelo na história da salvação. A todos eles, dirijo uma palavra de reconhecimento e gratidão.”

É preciso muita grandeza de espírito para reconhecer que não somos independentes, autossuficientes. Por trás de nossos confortos, existe muito suor. É muito mais fácil reclamar do atraso da entrega de um alimento via aplicativo que adiou talvez não sua saciedade, mas sua gula por alguns minutos, do que enxergar o ser humano por trás desta entrega; quem sabe em jornada tripla de trabalho para colocar arroz em casa, enquanto reclamamos que nosso banquete chegou um pouco frio. Comida fria, sim. Mas não tão fria quanto o coração incapaz de ver o seu irmão que bate à sua porta, servindo-o.

A porta que entra no Céu é estreita, só cabe um por vez. Mas o caminho que nos leva até esta porta só se faz de mãos dadas. Penso que, ao chegar nesta porta para pedir permissão para entrar, o grande juiz nos fará, entre outras perguntas, esta profunda indagação: “Onde está teu irmão Abel?” Gn 4,9

Escrito por: No Colo de Maria
Nossa missão é formar o povo de Deus na fé e na oração. Este humilde serviço de evangelização realizado por um casal de leigos residentes no Estado de Goiás quer levar um pouco da ternura do Colo da Mãe de Deus e da Igreja até você.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: