É com imensa honra e alegria, que iremos aqui compartilhar com vocês um pouquinho sobre a vida de Nossa Senhora.

Maria: Mãe de Deus e nossa mãe.

Nos últimos momentos da vida do Salvador, aos pés da cruz, junto das Santas Mulheres e do apóstolo João, Jesus nos entrega Maria, para ser também “A Mãe de cada um de nós”. Sem dúvida, um presente valiosíssimo para a humanidade, porque nossa MÃE SANTISSIMA sempre foi a MÃE PERFEITA de Jesus.

Maria esteve sempre ao lado de seu filho Jesus, acompanhando sua caminhada, sofrendo suas dores. E ela por ser mãe, também passou por suas provações; por suas dores e sofrimentos. O primeiro assunto que iremos compartilhar serão as sete dores de Maria. Hoje começamos com a primeira dor de Maria que é a da espada de Simeão.

As dores e o martírio de Maria começam com o Anúncio do Anjo de que ela seria a Mãe do Messias. Logo que Jesus nasceu o coração de sua Mãe foi transpassado por uma espada; e esta apreensão vai acompanhá-la por toda a vida.

A primeira grande dor de Maria foi a dor moral ao ouvir o velho Simeão lhe apresentar a “espada da dor” que iria transpassar o seu coração imaculado.

“Quarenta dias depois do nascimento de um filho, toda mulher judia, de acordo com a Lei de Moisés, devia apresentar-se no Templo de Jerusalém para purificar-se (Lv 12), era uma purificação ritual, não por culpa.” *

“Maria, Imaculada, de nada tinha que se purificar, mas cumpriu toda a Lei, como Jesus; por isso se submeteu, como todas as mães, servindo para nós como um perfeito exemplo de obediência e de humildade. Aos quarenta dias José e Maria partiram para o Templo, e ali encontraram o velho profeta Simeão, a quem o Espírito Santo tinha revelado que não morreria sem ter visto o Messias.”

Na presença de Maria, o velho Simeão se estremeceu diante do Menino. Podemos ver no episódio da Apresentação um sinal profético do encontro do homem com Cristo. O espírito santo torna-o possível, mas é Maria que entrega o Menino ao santo Simeão. Assim, por vontade divina, é a Mãe que dá Jesus aos homens, ainda hoje.

“Simeão então diz a Maria: “Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações. E uma espada transpassará a tua alma.” (Lc 2, 34-35)

Maria sabia que estava ouvindo um profeta, o que deve ter amedrontado nossa senhora nesse momento. Simeão começava a preparar a mãe de Deus para a sua grande e dolorosa missão. Essa espada iria penetrar a cada dia mais o seu coração, até o dia em que ela iria ver o seu filho morrer em uma cruz, vítima de ódio e da inveja.

“Diante de Simeão, Maria se calou, apenas guardou em segredo aquela palavra dura; tudo ela guardava no seu coração e meditava, aceitando o desígnio de Deus, conforme tinha prometido ao anjo da Anunciação.”

A partir daquele momento nossa senhora passa a perceber que Jesus Cristo não é mais exclusivamente seu filho. Ela percebe que ele veio ao mundo com uma missão: Salvar toda a humanidade. E para isso o preço a ser pago seria alto. Ele permaneceria ao lado dela até a idade adulta, a partir dali a sua missão era maior; o seu chamado era maior.

“Uma lança transpassou o coração do Cristo na Cruz. Uma espada de dor transpassou o coração de Maria no Calvário! Deus revela ao profeta Simeão como Nossa Senhora estaria intimamente ligada à Jesus Cristo no momento da Sagrada Paixão.”

Somente uma Mulher e Mãe, que suportou tantas dores pode ser Consoladora dos aflitos e o auxílio dos cristãos.

Nesta primeira dor de Maria, cujo coração foi transpassado por uma espada, podemos aprender com ela a virtude da obediência a Deus. Quem confia em Deus jamais será confundido. Nas nossas angústias, nos nossos sofrimentos, o que nos aflige, confiemos a Deus e não nos arrependeremos dessa confiança.

 

“Rezemos juntos: Ó Virgem bendita e santa; que oferecestes o seu Filho a Deus para salvar toda a humanidade, socorrei com suas preces todas as mães aflitas que sofrem por causa de seus filhos; de modo especial os que se acham envolvidos nas bebidas, nas drogas, na violência, no ateísmo e longe de Deus. Amém.”

Você que está passando por alguma situação difícil em sua vida, peça a intercessão de Nossa Senhora. Conte para Maria a sua situação e peça que ela interceda a Deus por você. Tenha certeza que suas orações serão atendidas.

Ó Maria concebida sem pecado. Rogai por nós que recorremos a vós.

Maria…passe na frente!!

*O Socorro da Virgem Maria e as suas sete dores; Prof. Felipe Aquino; Editora: Cleófas; Ano: 2010

Christiane Faria Vilarinho