Já dizia Cora Coralina que “coração é terra que ninguem vê”.

Só Deus conhece verdadeiramente o coração do homem. Ele nos criou, sabe como “funcionamos”. Independente do que falamos ou façamos, nós não temos pleno conhecimento de nós mesmos.

Jesus conhecedor desta verdade nos fala na parábola do semeador. (São Mateus 13,1-9)

Vemos uma semente que é lançada em vários tipos de terrenos. Algumas ficam a beira do caminho, outras nascem entre pedras, outras entre espinhos, outras em terra boa. Somente aquelas que caem em terra boa dão frutos.

Isso nos leva a refletir:

-Estou dando frutos? Sim? -Quantos frutos tenho produzido, 100, 60 ou 30?

Nosso coração nem sempre está preparado para acolher a semente que é a boa nova do Senhor, por isto nem sempre produzimos frutos. Às vezes somos sufocados pelo nosso orgulho ou pelos nossos projetos ou até não buscamos nos aprofundar na espiritualidade, com nossa oração pessoal e a semente, que é a palavra de Deus, não tem forças para crescer, ou até mesmo o maligno nos arranca do nosso coração, como explica Jesus em Mateus 13, 18-23.

Devemos cuidar da terra do nosso coração, adubar e regar a semente, assim conseguiremos gerar muitos frutos na nossa comunidade. Pois o Senhor nos alerta que “toda árvore que não der bons frutos será cortada e lançada ao fogo” (Mat 7,19).

Márcia Santos