A vida é dura para quem é mole

Texto de: Paulo Franco Machado
Publicado em: 13 de janeiro de 2015
Postado em: Formação | Reflexões

escalada-sacrificio“Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo; fazei penitência e crede no Evangelho”. Mc 1, 14 Disse o próprio Jesus, pregando por toda Galileia, anunciando a boa nova do reino. Interessante pensar em sua colocação: “completou-se o tempo”. Foi preciso esperar completar-se o tempo até que viesse o salvador, e agora é preciso completar-se o tempo para que ocorra sua segunda vinda. Em nossa história é assim, alguns tempos se completam e outros aguardamos completar, e o que ocorre no meio de tudo isso é a nossa própria vida. É preciso viver com intensidade nosso momento presente, sem nunca recuar. Se não vivermos bem o tempo atual, corremos o risco de passar por esta vida como se nunca tivéssemos existido. Quem descobre pelo que vale se sacrificar, entende e preenche seu viver, pois não existe vida sem sacrifícios.

“Fazei penitência e crede no Evangelho”, continua Jesus a nos exortar. Logo após nos inserir no tempo presente, Ele mesmo nos convoca a fazer sacrifícios e acreditar na sua palavra. Não bastaria só crer? Ainda é preciso fazer sacrifícios? Sim, é preciso. Quem crê no evangelho e em Nosso Senhor Jesus Cristo reconhece no mestre o próprio itinerário do sacrifício. Amor oblativo, que pagou o preço que nenhum de nós poderia pagar, deu sua vida em sacrifício para nos salvar. “A vida é dura para quem é mole”, diz um ditado popular. Caminho do cristão é de renúncia, sacrifícios e doação. Quem crê no evangelho da vida, abandona sua própria vontade para seguir os caminhos do mestre. Não podemos confundir sacrifício com auto-flagelação, e nem com um sofrimento desnecessário e sem virtude. Quem quer crescer na graça e na compreensão do reino faz de cada situação de sua vida uma oportunidade real de sacrifício em louvor a Deus. Se sobrou pouco, sacrifique-se e partilhe, ofereça sem reclamar. No fim do mês o dinheiro não deu para comprar o que gostaria? Louve a Deus e aguarde uma nova oportunidade no mês seguinte e não endivide-se. Tem que escolher entre o que gostaria (ver TV) e o que deve ser feito (lavar a louça)? Cumpra seu dever com alegria e aguarde em Deus o momento de fazer o que gostaria. São nestes pequenos sacrifícios cotidianos que nossa alma cresce na compreensão do evangelho do reino. Nunca perdendo de vista o amor e o reto desejo de fazer a vontade de Deus. Aquele que foge dos pequenos sacrifícios do dia a dia enfraquece a sua alma e não tem forças para vencer os grandes sacrifícios que a vida o obrigará a viver. Ainda é tempo de retomar a força para prosseguir decididamente! Peço ao  Espírito Santo que te fortaleça.

Que Jesus continue a nos iluminar nas estradas desta vida rumo à eternidade.

Paulo Franco Machado

 

Escrito por: Paulo Franco Machado
Filho de Deus, casado com Christiane Faria, catequista, escritor. Gestor em Tecnologia da Informação com especialização em Gestão de Projetos. Atualmente é empresário e professor.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *